topbella

sábado, 29 de outubro de 2011

Citando Tati Bernadi


"Foi então que eu descobri. Ele está exatamente no mesmo lugar que eu agora, pensando as mesmas coisas, com preguiça de ir nos mesmos lugares furados e ver gente boba, com a mesma dúvida entre arriscar mais uma vez e voltar pra casa vazio ou continuar embaixo do edredon lendo mais algumas páginas do seu mundo perfeito.
A verdade é que as pessoas de verdade estão em casa. Não é triste pensar que quanto mais interessante uma pessoa é, menor a chance de você vê-la andando por aí?"

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Citando Caio .F.Abreu

Resolvi me afastar, e agora estou tentando tirar da cabeça. Não estou conseguindo, porém tentando. Não consigo mais aceitar relações pela metade. Em outras palavras, raspas e restos não me interessam.


domingo, 23 de outubro de 2011

Citando Caio .F.Abreu


“Esquece. Não vou atrás de ninguém. Não mais. Hoje eu acordei e pensei que seria melhor não, eu não quero me apegar em ninguém, não quero precisar de ninguém. Quero seguir livre, entende? mesmo que isso me faça falta, alguém pra me prender um pouquinho. Vou me esquivar de todo sentimento bom que eu venha a sentir, não levar nada a sério mesmo. Ficar perto, abraçar de vez em quando, sentir saudade, gostar um pouquinho. Mas amar não, amar nunca, amar não serve pra mim. Prefiro assim!”


quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Citando Caio .F.Abreu

Mas não te procuro mais, nem corro atrás. Deixo-te livre para sentir minha falta, se é que faço falta… Tens meu número, na verdade, meu coração, então se sentir vontade de falar comigo ou me ver, me procura você.


segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Citando Clarice Lispector


Quando fazemos tudo para que nos amem e não conseguimos, resta-nos um último recurso: não fazer mais nada. Por isso, digo, quando não obtivermos o amor, o afeto ou a ternura que havíamos solicitado, melhor será desistirmos e procurar mais adiante os sentimentos que nos negaram. Não fazer esforços inúteis, pois o amor nasce, ou não, espontaneamente, mas nunca por força de imposição. Às vezes, é inútil esforçar-se demais, nada se consegue;outras vezes, nada damos e o amor se rende aos nossos pés. Os sentimentos são sempre uma surpresa. Nunca foram uma caridade mendigada, uma compaixão ou um favor concedido. Quase sempre amamos a quem nos ama mal, e desprezamos quem melhor nos quer. Assim, repito, quando tivermos feito tudo para conseguir um amor, e falhado, resta-nos um só caminho...o de mais nada fazer.

sábado, 15 de outubro de 2011

Citando Clarice Lispector


"Comecei uma listinha de sentimentos dos quais não sei o nome. Se recebo um presente dado com carinho por pessoa de quem não gosto - como se chama o que sinto? A saudade que se tem de pessoa de quem a gente não gosta mais, essa mágoa e esse rancor - como se chama? Estar ocupada - e de repente parar por ter sido tomada por uma súbita desocupação desanuviadora e beata, como se uma luz de milagre tivesse entrado na sala: como se chama o que se sentiu?"
(Clarice Lispector)

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Citando Tati Bernadi

(...)Sim, ele era encrenca, das boas.
(...)Eu sabia o que estava fazendo, ele também: estávamos fazendo uma coisa errada.
(...) Gostei da luz, dos olhos dele. Gostei que estava me encantando, gostei de não poder me encantar e mesmo assim estar me encantando.
(...) Apesar de todo esforço, meu poder era uma ilusão. Apesar do desprendimento, eu me enganava o tempo todo.
(...)Nada de alegria, alegria. Ele fecha a porta e volta para sua vida real. Para os dois, porque ele não era egoísta: tristeza, tristeza.
(...) Alegria, alegria. Eu me implorava. E dá para sentir isso o tempo todo? Eu me cobrava tanto ser feliz que às vezes perdia a noção de que já era. Fugir da felicidade ou fugir com ela?
(...) Num ímpeto de tesão, ou talvez após um trabalho de consciência confusa que, por preguiça, acabava se decidindo impulsivamente, respondi ao e-mail dele: sim, senhor. Vamos para onde o senhor quiser, a hora que desejar e na posição que preferir.
Nem todas as histórias precisam ter virgens pálidas chorando às margens de um mar de espumas. Nem tudo precisa ser romance tuberculoso. Alegria, alegria.
(...)A felicidade, assim como a bebedeira, vai e vem. A felicidade, assim como o sexo, entra e sai. A felicidade, assim como ele, era impossível. Mas não é pra tentar ser feliz que a gente vive?"


quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Pálpebras de Neblina

Fim de tarde. Dia banal, terça, quarta-feira. Eu estava me sentindo muito triste. Você pode dizer que isso tem sido freqüente demais, ou até um pouco (ou muito) chato. Mas, que se há de fazer, se eu estava mesmo muito triste? Tristeza-garoa, fininha, cortante, persistente, com alguns relâmpagos de catástrofe futura. Projeções: e amanhã, e depois? e trabalho, amor, moradia? o que vai acontecer? Típico pensamento-nada-a-ver: sossega, o que vai acontecer acontecerá. Relaxa, baby, e flui: barquinho na correnteza, Deus dará. Essas coisas meio piegas, meio burras, eu vinha pensando naquele dia. Resolvi andar. Andar e olhar. Sem pensar, só olhar: caras, fachadas, vitrinas, automóveis, nuvens, anjos bandidos, fadas piradas, descargas de monóxido de carbono. Da praça Roosevelt, fui subindo pela Augusta, enquanto lembrava uns versos de Cecília Meireles, dos Cânticos: "Não digas 'Eu sofro'. Que é que dentro de ti és tu? / Que foi que te ensinaram/ que era sofrer ?" Mas não conseguia parar. Surdo a qualquer zen-budismo, o coração doía sintonizado com o espinho. Melodrama: nem amor, nem trabalho, nem família, quem sabe nem moradia - coração achando feio o não-ter. Abandono de fera ferida, bolero radical. Última das criaturas, surto de lucidez impiedosa da Big Loira de Dorothy Parker. Disfarçado, comecei a chorar. Troquei os óculos de lentes claras pelos negros ray-ban - filme. Resplandecente de infelicidade, eu subia a Rua Augusta no fim de tarde do dia Tão idiota que parecia não acabar nunca. Ah! como eu precisava tanto de alguém que me salvasse do pecado de querer abrir o gás.
(Caio Fernando Abreu)

Saudades....


Hoje me bateu uma saudade irracional de você, e eu chorei, chorei porque  por mais que eu te chame, grite seu nome e você me escute e mesmo sentindo a tua presença , eu sei que nunca mais vou poder sentir teu abraço.
Então...Onde você estiver  se cuide e cuide também de mim.
Saudades, saudades e mais saudades....

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Pensamentos Soltos


Sossega esse teu coração pequena e controla essa tua mente pisciana,desespero não resolverá teus problemas e teus  pitis  sempre te colocam em enrrascada. Portantos, esfria essa cabeça e domina essa tua inquietude.
Um dia de cada vez lembra?

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

O Jeito que essa moça tem...


Olhando assim de longe ela parece "normal", não tem nada demais, uma moça comum, mas dentro do seu peito bate um coração descompassado, hora muito rápido ,hora quase parando.
Quando se olha de verdade nos olhos dessa moça , nota-se que são olhos que se perdem no horizonte, viajam e são famintos pra descobrir coisas novas.
Tem uma mente fértil, até demais e costuma exagerar em sua imaginação,as vezes cria monstros outras seres angelicais.
Tem um gênio dificíl e vez por outra sempre se mete em encrencas.
Dias se comporta como um cão de rua abandonado que precisa que alguém adote, alimente e ame, noutros acha que é dona do mundo e que não precisa de ninguém , que é auto-suficiente.
Costuma chegar como uma chuva fina e calma, aquela que traz paz, alivia o calor e tranquiliza o coração, mas quando vai embora mais parece uma tempestade que sai derrubando tudo que ver pela frente sem dó nem piedade e deixa um rastro de coisas jogadas ao chão.
Muda de idéia constantemente, se uma fantasia não deu certo ela inventa outra.
Se o dia tá feio e cinza , ela puxa um arco-iris da cartola e enfeita o céu .
Se o dia tá muito calmo inventa uma tempestade só pra fugir do marasmo.
Se o amor não vem, ela inventa um sem o menor pudor, só não suporta a idéia de não ter ninguém pra amar.
Quando ama, cuida exageradamente, exige, controla , quer ser dona e sempre acaba sozinha, sabe que sua possessividade não é um ponto a seu favor e tenta dominar  luta contra isso mas quase sempre é vencida, mas um dia ela aprende e vence essa batalha.
Enquanto isso ela vai vivendo, errando, acertando, quebrando, tentando consertar e assim vai seguindo sua vida....


Consciência


Sentou em frente ao mar e ficou alí parada por muito tempo, talvez por duas ou três horas seguidas.
Com o olhar fixo no horizonte os pensamentos e as lembranças divagavam em sua mente, estava nostalgica e  seus pensamentos e sentimentos se misturavam,medo, vergonha, saudades, mágoas, decepção consigo mesma, decepção com outras pessoas,carência, arrependimento e um restinho de amor que ainda teimava em continuar alí.
Lembrou das últimas palavras duras que tinha escutado e uma lágrima rolou,sentiu-se humilhada mas depois se deu conta que foi culpada em parte por ter ouvido tais coisas.Lembrou de quantas coisas tinha sido acusada nos últimos dias, tantos erros e defeitos apontados,tantas coisas sendo cobrada.
Se deu conta que ao contrário do que ela julgava nem sempre foi a vitima, em muitas vezes foi a vilã, sentiu o coração apertar quando tomou consciência de que não tinha mais como reparar os erros antigos mas suspirou aliviada por finalmente se dar conta de suas falhas e prometeu a sí mesma que ia procurar não mais cometer os mesmos erros do passado no futuro.
O sol começou a sumir e ela se percebeu que já era tarde, levantou, limpou o rosto e foi pra casa, decidida a mudar o rumo da sua história.

domingo, 9 de outubro de 2011

Fragmentos

"Mas se eu tivesse ficado, teria sido diferente? Melhor interromper o processo em meio: quando se conhece o fim, quando se sabe que doerá muito mais - por que ir em frente? Não há sentido: melhor escapar deixando uma lembrança qualquer, lenço esquecido numa gaveta, camisa jogada na cadeira, uma fotografia –qualquer coisa que depois de muito tempo a gente possa olhar e sorrir, mesmo sem saber por quê. Melhor do que não sobrar nada, e que esse nada seja áspero como um tempo perdido. Eu prefiro viver a ilusão do quase, quando estou “quase” certa que desistindo naquele momento vou levar comigo uma coisa bonita. Quando eu “quase” tenho certeza que insistir naquilo vai me fazer sofrer, que insistir em algo ou alguém pode não terminar da melhor maneira, que pode não ser do jeito que eu queria que fosse, eu jogo tudo pro alto, sem arrependimentos futuros! Eu prefiro viver com a incerteza de poder ter dado certo, que com a certeza de ter acabado em dor. Talvez loucura, medo, eu diria covardia, loucura quem sabe…"

(Caio Fernando Abreu)



Fragmentos de Nós Dois...


Penso sempre que um dia a gente vai se encontrar de novo, e que então tudo vai ser mais claro, que não vai mais haver medo nem coisas falsas. Há uma porção de coisas minhas que você não sabe, e que precisaria saber para compreender todas as vezes que fugi de você e voltei e tornei a fugir. São coisas difíceis de serem contadas, mais difíceis talvez de serem compreendidas — se um dia a gente se encontrar de novo, em amor, eu direi delas, caso contrário não será preciso. Essas coisas não pedem resposta nem ressonância alguma em você: eu só queria que você soubesse do muito amor e ternura que eu tinha — e tenho — pra você. Acho que é bom a gente saber que existe desse jeito em alguém, como você existe em mim”.
(Caio Fernando Abreu)


sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Fragmentos

"Aprendi a não contar muito com os outros, fazer tudo sozinha dá mais certo. Tem também aquela dica de não ter medo de mudanças, a de encarar o erro como um caminho para encontrar soluções novas, aquela de ter a cara-de-pau de se testar coisas novas e a humildade para abandoná-los caso não dêem certo."
(Caio Fernando Abreu)

Pensamentos Soltos



"Eu sei que todos os dias quando eu acordo Deus dá um sorriso e me diz: Estou te dando a chance de tentar de novo."
(Caio Fernando Abreu)

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Papo de Cupido


-Posso te perguntar uma coisa?
-Claro, respondeu o pobre ser angelical todo solícito.
-Qual a sua idade?
-Como assim, anjos não tem idade , não tem sexo e se você não percebeu eu sou o anjo cupido, aquele que faz as pessoas se apaixonarem.
-Eu sei quem você é, tô vendo sua flecha aí com coraçãozinho na ponta e essa sua sacolinha cheia de flechas bonitinhas e que metem a gente num monte de confusão, e era com você mesmo que eu queria falar, então por favor responda  a minha pergunta.
-Porque essa insistência em saber minha idade?
-Você tem problemas de visão? Tem  ido ao oftalmologista? No seu médico, fazer check-up ?
-Mas que perguntas mais descabidas são essas?Já disse que sou anjo, que não temos idade, não temos sexo e muito menos ficamos doente, então o que te faz pensar que preciso de médico?
-Então você bebe em serviço  é isso?
-Que desrespeito ! Sou um ser celeste ,não me rendo as coisas do mundo, porque faz perguntas tão desrespeitosas?O que te faz pensar tais coisas sobre um ser celestial?
-Olha , você me desculpe viu Sr.Anjo mas,  é que pelo que vejo o senhor faz um serviço bem meia-boca, porque desde os séculos passados vem flechando corações errados, fazendo pessoas se apaixonarem por outras que não lhe são permitidas, um caso famoso é o de Romeu e Julieta por exemplo, olha só como terminou aquele pobre casal, mortinhos da Silva Sauro, uma tragédia e mais um bilhão de histórias de amores que não deram certo e que causaram até guerras ,por isso lhe fiz essa pergunta, porque eu mesma o senhor já me meteu num monte de encrenca é cada uma que prefiro nem relembrar e o senhor sabe muito bem do que estou falando não é?
-Desculpe as vezes erro propositadamente que é para vocês aprenderem sobre a vida, sobre perdas, sobre emoções,sobre superações, aprenderem a ganhar e perder, amar sem ser amado e respeitar o livre-arbítrio do outro, ou ser amado e não amar e também ter seu livre-arbítrio respeitado, não é por mal.
-Ahhh, não me diga!Pois bem , já aprendí isso aí T-U-D-I-N-H-O, então por favor da próxima vez quando for me flechar seja bonzinho e olhe bem  quem o senhor  vai me arranjar , porque tô cansada de tanto respeitar livre-arbítrio de quem não me  ama viu?E tem mais,  enquanto o senhor não for ao oftalmo , ao seu médico e  depois fazer um treinamento intensivo de tiro-ao-alvo por favor não se aproxime de mim.
-Porque insiste em dizer que preciso de médico?Perguntou o ser celestial bem zangado .
-Porque eu desconfio que o senhor tem catarata ou miopia, sofre de uma doença degenerativa que aqui na terra chamamos de Mal de Parkinson  ela faz perder o controle sobre os movimentos dos membros superiores e inferiores  se não for isso é porque o senhor seu anjo,  não entende de atirar arco e  flecha porra nenhuma.

(jOzinha Leite em Papo de Cupido)

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Papo de Botequim...


Entrou no bar correndo, procurou a mesa mais escondida e  onde fosse mais escuro e sentou, o garçon se aproximou  e disse:-Desculpe-me senhorita mas já estamos  fechando.
-Prometo ser rápida.
-Então ,o que a senhorita vai querer?
-Uma dose dupla de  amor-próprio sem gelo por favor!
-Alguma coisa pra acompanhar ?
-Uma porção dignidade no capricho.
-Dia difícil?
-Na realidade, vida difícil, mas não vou alugar o senhor com meus problemas, traga meu pedido por favor e prometo que serei rápida !
-Tudo bem vou buscar seu pedido, quando voltar você até me contar o que te aflinge, já não tem mais clientes mesmo, todos já foram embora...
Enquanto o garçom se afastava para buscar o pedido , ficou alí olhando para o nada , lágrimas escorriam e  borravam sua maquiagem, e ela pensava:  -Na próxima  vez comprarei rímel e lápis a prova-d'água.
O garçon se aproximou e disse:-Sua dose dupla de amor-próprio e uma porção de dignidade no capricho, mas o que te aflinge menina?Pergutou ele, olhando com dó aquele rosto pequeno, borrado e sofrido.
-Ah muito obrigado senhor, disse ela limpando o rosto e tentando disfarçar as lágrimas.
 Coisas do coração caro amigo, coisas do coração, suspirou fundo e uma lágrima teimosa rolou sobre sua face.
-Hum... disse o garçon, se quiser me falar tô aqui, vocês jovens tem mania de achar que são super-heróis e que podem resolver tudo sozinho
-Tudo bem, respirou fundo e começou a falar.
-Meu problema é que eu me apaixonei por um homem que não existe,e tô aqui tentando , lutando contra esse amor ,porque já tentei  virar essa página, até rasga-la e não consigo, insisto em continuar escrevendo em cima de linhas já escritas.
-Entendí, já ví que a culpada por seu sofrimento é você mesma.
-Como assim? Disse ela exaltada.
-Calma minha jovem, você tá errando porque tá insistindo em consertar algo que já não tem mais jeito, não é necessário só virar a página ou rasga-la, na realidade, você tem que mudar de livro!
-Mas é que eu gosto tanto desse, se eu jogar fora vou sentir saudades, o que eu faço pra não sentir falta?
-Coma um chocolate toda vez que sentir saudades e quiser procurar e ler de novo esse livro.
-Mas se eu fizer isso eu vou engordar, porque eu gosto de ler esse livro e sinto saudades dele.
-Aí está a chave , o segredo pra você deixar de gostar,porque se todas as vezes que sentir saudades você comer um  chocolate  durante uma semana, se olhe no espelho na semana seguinte e você vai ver que essa saudade e esse amor por esse bendito  livro não te fazem bem.
-Hum, entendí, disse ela tomando um gole da sua bebida.
-Mas isso vai funcionar?
-Depende de você, as coisas só entram e saem das nossas vidas com nossa permissão, veja bem:Cada morto tem seu prazo de ser enterrado mas mesmo quando enterramos ainda sentimos sua presença, porque pra ele ir embora não depende da nossa vontade, mas muitas vezes somos culpados porque insistimos em cultivar a presença deles e invoca-los e não os deixamos partir.
-Então o lema é :Rasgar o livro, enterrar os mortos e comer chocolate pra não sentir saudades?Desculpe mas acho que isso não funciona!
-Tente, ou  você pode continuar na sua tática de auto-destruição, mas eu recomendo que faça uma tentativa, aliás várias tentativas, se não funcionar volte para sua vida de auto-piedade e de bancar a vitima da história, a coitadinha.
-Pode ser, mas não é nada fácil , a gente sofre um bocado  e não aprende, ou será que um dia a gente aprende?Perguntou ela tomando o último gole e devorando a última fatia de dignidade que sobrou na cestinha.
-Aprende sim senhorita, com certeza um dia aprende, e  digo mais, aprenda logo  que assim doerá menos da próxima vez que isso acontecer.
-Mas ainda nem me recuperei dessa e você já está falando na próxima...
-E você acha que essa foi a última vez?Só se você estiver planejando acabar com sua vida logo, porque te  digo se você continuar a viver  vai acontecer não só uma vez mas sim várias vezes, isso se chama VIVER, agora se você tá tão cansada de tudo isso, a 1 km daqui tem uma ponte bem alta e com pedras , amarre uma na perna e se jogue.
-Credo!Rebateu ela, gosto muito de viver e não vou fazer isso.
-Então pare de bancar a coitada, pare de se iludir, não acredite em contos de fadas e happy ends cinderelescos, não confie tanto nas pessoas sem antes conhecê-las a fundo,pare de se culpar e de culpar os outros, não cobre demais nem sí nem dos outros,não exija das pessoas o que elas não tem pra te dar e por último continue tentando,de novo, de novo e de novo.
-Ok, ok! Entendí , obrigado pela bebida, pela comida e pelos conselhos, eles são grátis ou vou ter que aumentar a gorjeta?Perguntou ela sorrindo pela primeira vez naquela noite.
-São grátis  minha jovem, e sempre que precisar de uma dose de amor-próprio e uma porção de dignidade estarei aqui.
-Obrigado, disse ela , levantou deu um beijo na face  do velho garçon , virou-se e foi em direçaõ a porta!
-Ei pequena!Gritou o garçon , dois últimos conselhos tenho pra te dar, alias, não são conselhos , são "lembretes".
-Continuam   grátis? Perguntou ela sorrindo.
-É sim.
-Então manda , respondeu ela.
-Pare de se apaixonar por homens que só existem em sua imaginação, quando você fizer isso vai parar de sofrer e por último pare de ler sempre o mesmo livro, jogue-o fora, rasgue-o, queime-o ou doe pra alguém, se for guardar tranque-o em um baú e jogue a chave do fundo de um rio para não cair em tentação de ler o sempre o mesmo livro,vá em busca de um novo .
-Vou seguir seus conselhos, aliás vou pregar esses" lembretes" na porta da minha geladeira pra não mais esquece-los  , respondeu ela ,  virou de  costas e foi embora.

(Jozinha Leite em Papo de Botequim)






Pensamentos


É uma pena você não ter vindo ,logo hoje que eu coloquei aquela minha cara bonita, sabe aquela que você gosta? Que você gostava....
(Jozinha Leite)


Pensamentos Soltos


"Aí eu finalmente entendí e aceitei, porque você finalmente me explicou"
(Jozinha Leite)


segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Pensamentos Soltos

Ainda bem que sempre existe outro dia. E outros sonhos. E outros risos. E outros amores. E outras pessoas. E outras coisas....
(Caio F.Abreu)

Fragmentos


"Eu sei, eu sei, o eterno clichê “isso passa”. Passa sim e, quando passar, algo muito mais triste vai acontecer: eu não vou mais te amar.

É triste saber que um dia vou ver você passar e não sentir cada milímetro do meu corpo arder e enjoar. É triste saber que um dia vou ouvir sua voz ou olhar seu rosto e o resto do mundo não vai desaparecer. O fim do amor é ainda mais triste do que o nosso fim.

Meu amor está cansado, surrado, ele quer me deixar para renascer depois, lindo e puro, em outro canto, mas eu não quero outro canto, eu quero insistir no nosso canto.

Eu me agarro à beiradinha do meu amor, eu imploro pra que ele fique, ainda que doa mais do que cabe em mim, eu imploro pra que pelo menos esse amor que eu sinto por você não me deixe, pelo menos ele, ainda que insuportável, não desista."
 
(Tati Bernadi)

Fragmentos

... Amar dói tanto que você fica humilde e olha de verdade para o mundo, mas ao mesmo tempo fica gigante e sente a dor da humanidade inteira. Amar dói tanto que não dói mais, como toda dor que de tão insuportável produz anestesia própria..."

(Tati Bernadi)

sábado, 1 de outubro de 2011

Fragmentos

Eu sei que dói. É horrível. Eu sei que parece que você não vai agüentar, mas aguenta. Sei que parece que vai explodir, mas não explode. Sei que dá vontade de abrir um zíper nas costas e sair do corpo porque dentro da gente, nesse momento, não é um bom lugar para se estar.

(Caio F.Abreu)

Fragmentos


Sou PhD em desilusão amorosa. Fui muito honesta nas relações, não sei jogar. Odeio quando o amor se transforma em violência, competição, morbidez.
(Caio F Abreu)

Pensamentos Soltos

"Seria tão bom se pudéssemos nos relacionar sem que nenhum dos dois esperasse absolutamente nada, mas infelizmente nós, a gente, as pessoas, têm, temos - emoções."




(Caio F. Abreu)
Minha foto
Eu escrevo como se fosse para salvar a vida de alguém, provavelmente a minha própria vida.( Clarice Lispector)